• Matheus Soares

Flipoços: universo das ideias

Atualizado: Jul 6

Por nove dias, sentimos de volta a brilhante sensação de imergir no mundo mágico da literatura. Apresentava-se ali uma nova oportunidade de reencontrar autores e conhecer novas narrativas. Caminhando pelos corredores repletos de livros, encontrávamos histórias das mais diversas. A sensação de pertencimento era nítida. Na conexão com outras pessoas, compartilhávamos experiências. Semana cheia.


O Festival Literário de Poços de Caldas nos presenteia todos os anos com atividades que suscitam discussões importantes para a nossa cidade e para o país. Oferece, entre outras abordagens, iniciativas divertidas que encantam crianças e promovem a inserção dos livros no ambiente familiar. Há centros que interagem com crianças e pais de forma lúdica, trazendo referências literárias fundamentais na construção de mundo dos pequenos.


Além de palestras com grandes personalidades, o festival conta também com centenas de outros autores que buscam apresentar as suas histórias. Na área externa, próximo ao Museu Histórico e Geográfico de Poços de Caldas, é onde, especialmente, esses encontros acontecem. O espaço é idealizado para uma experiência única que une os relatos da vida com as árvores e o clima. A relação é tão intensa que até coquinhos de árvores caem sobre a gente! Suspiros incompreensíveis da natureza.


Nesse intenso respirar de saberes, os momentos vivenciados provocam uma mistura de sentimentos, que surgem fortes e diversos. Cada palavra dita, cada informação transmitida, cada experiência descrita se funde com a vontade de mergulhar em cada mundo. Entretanto, a reflexão, a partir do que é visto, nos mostra que a diversidade partilhada nos leva simplesmente a apenas um universo, o do conhecimento.


E no espaço das ideias, em que os horizontes podem se encurtar, é que percebe-se que o conhecimento, quando é compartilhado, rompe os limites. Para um imenso mundo literário, o abundante conhecimento, para quem quiser, é sem fronteiras.


Flipoços quebra recorde de público com 90 mil visitantes e R$ 2,2 milhões em vendas de livros


Texto:

Rodrigo Galhardi e Matheus Soares


Fotos:

Bruno Alves Fotografia

47 visualizações0 comentário