• Matheus Soares

Michele Costa: "Sou apaixonada por Elis. Uma cantora como ela não pode ser esquecida."

Atualizado: 12 de Jul de 2019

A memorável Elis Regina faz parte da história não só da música brasileira como do país. No show "Vozes em Canto - Especial Elis Regina", que acontece nessa sexta, às 20h30, no Espaço Cultural da Urca, o repertório da cantora é revivido e contextualizado. A produção musical é da cantora e preparadora vocal Michele Costa, bacharel em Música, Canto e Arte Lírica pela USP (Universidade de São Paulo). Na coluna de hoje, vamos conversar um pouco com Michele e descobrir de onde surgiu a ideia de rememorar essa grande personalidade brasileira.

Michele, como você conheceu a obra de Elis Regina?


Conheci a obra de Elis Regina quando tinha uns 11 anos de idade, por meio de um convite para cantar a música Romaria em uma peça de teatro do colégio! Foi um momento mágico e marcante, onde minha história de amor e admiração por Elis se iniciou.


O que sentiu quando ouviu pela primeira vez uma canção de Elis?


A primeira música que ouvi do repertório de Elis foi justamente Romaria, do grande Renato Teixeira. Com certeza houve um encantamento desde o primeiro segundo que ouvi a música. A sensibilidade da melodia e a fé expressada na letra me emocionaram. A interpretação de Elis era algo surpreendente, nunca havia ouvido algo tão bonito antes. O timbre marcante me inspirou a cantar. A partir daquele momento, minha curiosidade em conhecer e ouvir mais Elis Regina só aumentou e foi despertando a vontade de mergulhar em sua obra e de me tornar uma cantora profissional.

As músicas apresentadas no espetáculo foram selecionadas de modo a abranger as principais fases da carreira de Elis. Para todas elas, foram criados arranjos especiais, mantendo a personalidade musical que sempre foi característica da cantora. O texto do evento trabalha a união entre a história da música e o contexto em que ela foi criada, associando períodos históricos do Brasil com elementos próprios da composição.


Porque ela é tão importante para o país?


Porque foi e é a maior e melhor cantora da história da música brasileira. Suas canções são símbolos da luta de todos os brasileiros. Elis cantava o que pensava, o que queria dizer, o que queria reivindicar. Assim ela consagrou vários compositores brasileiros pela sua linda e grandiosa voz. Suas interpretações deixaram uma marca na história da música. No período da ditadura, por exemplo, a canção O Bêbado e a Equilibrista se tornou o Hino da Anistia. Como Nossos Pais também se tornou uma representação fiel da luta de uma juventude extremamente reprimida.


Porque homenageá-la e trazer de volta sua carreira?


Sou apaixonada por Elis de todas as formas. Uma cantora como ela não pode ser esquecida. Quando canto suas músicas, me sinto plena. Sempre tive comigo que minha volta aos palcos deveria ser cantando Elis. Produzir um espetáculo a sua altura foi, ao mesmo tempo, um prazer e um desafio muito grande. Tudo foi sonhado, produzido e realizado com muito amor e carinho!

A novidade do espetáculo é o cenário do evento que conta com uma projeção mapeada que apresenta depoimentos de Elis Regina, intercalados por planos de fundo que ambientam visualmente a canção que está sendo interpretada. Essa tecnologia permite ao espectador uma imersão dinâmica, tanto na obra da cantora como na execução do espetáculo.


Além da interpretação musical de Michele, o Coral Santa Luzia também participa do show. A iniciativa é trabalho voluntário da cidade de Poços de Caldas, criado em 2015, idealizado pela cantora e preparadora vocal Michele Costa e composto por cerca de 20 vozes. Desde a sua criação, atua em várias atividades sociais como arrecadação de alimentos e brinquedos. Concertos em instituições de saúde, como hospitais, unidades de tratamento intensivo do câncer e hemodiálise fazem parte do trabalho realizado pelo coral.


É tudo muito lindo, feito com muito capricho e eu tenho um entusiasmo muito grande para fazer o show, mas confesso que não é fácil, afirma Michele Costa.

Quais os desafios de se produzir um espetáculo de maneira independente?


Existem vários pontos, mas a maior dificuldade, sem sombra de dúvidas, é a financeira. Para realizar um espetáculo desse porte, é necessário contratar os melhores fornecedores no que diz respeito à estrutura de som, iluminação, projeção e etc. A divulgação do evento é outro desafio.


Realizamos dois shows independentes, vendendo ingressos e trabalhando arduamente todos os dias. E a maior dificuldade que encontramos foi a de conseguir cobrir todos os custos, já que além dos justos pagamentos aos profissionais envolvidos, ainda tínhamos que destinar uma boa parte da arrecadação com impostos, como ISSQN, ECAD, Borderô...


Percebemos, com certa tristeza, que a venda dos ingressos não dava para cobrir tudo! Por isso, estamos trabalhando também para pensar em ações propositivas que alimentem a vontade das administrações municipais, das pequenas, médias e grandes empresas da cidade, para ajudar de alguma forma atividades culturais em nosso município. É essencial que se trabalhe essa reflexão!

No show da próxima sexta, um intérprete de libras está presente. Graduado em Pedagogia pelo Centro Universitário Internacional (2015), pós-graduado em Libras (2016), o profissional é aprovado no Exame Nacional de Proficiência em Libras e atua, ainda, como intérprete do Governo do Estado de Minas Gerais.


O espetáculo Vozes em Canto – Elis Regina tem a missão de preservar e valorizar a trajetória dessa cantora que embalou o Brasil no século passado. Tem, também, o objetivo de instigar o público a conhecer a época em que foram escritas as canções mais famosas e, sobretudo, de possibilitar o acesso ao conhecimento musical do Brasil de uma forma divertida e emocionante. De maneira acessiva e emocionante.


Michele, pra finalizar: o que é Elis Regina pra você?


Elis Regina é minha maior inspiração. Sou admiradora de seu talento e de sua história. Com certeza, é a maior cantora de todos os tempos! Gosto muito de repetir isso porque, de fato, é o que eu penso. Foi ela quem me inspirou a cantar e ser o que sou. É ela que me desafia com a imensa responsabilidade de interpretar suas canções. Elis está comigo sempre.

O que é: Vozes em Canto – Especial Elis Regina

Quando: 12 de julho, 20h30

Onde: Espaço Cultural da Urca


Matheus Soares é publicitário, formado pela PUC Minas e apaixonado pela arte da escrita. Tem, entre seus sonhos, a criação de um espaço onde o diálogo seja sempre construtivo e a troca mútua de experiências contribua para um aprendizado político e social.

77 visualizações

© 2019 por Coletivo Paralelas. Poços de Caldas - MG.

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon