• Coletivo Paralelas

A ciência nossa de cada dia | Miguel Nicolelis: o cientista das neuropróteses

Se a ciência e a pesquisa já eram pilares importantes para a sociedade, agora, então, foram reconhecidas como indispensáveis. Quando se fala em ciência, é comum associar essa palavra a apenas "grandes" invenções, como um foguete ou até a grandes teorias, como a descoberta da gravidade. Mas a abrangência da ciência é muito mais cotidiana e local do que se pensa.


A série “A ciência nossa de cada dia”, que tem como objetivo apresentar um pouquinho da história e os feitos das/os principais cientistas brasileiras/os, traz hoje a trajetória de Miguel Nicolelis, um médico e neurocientista brasileiro que está em plena atividade e muito já colaborou para a ciência nacional. Data e local de nascimento: Dia 7 de março de 1961, em São Paulo - SP

Principal atuação: Lidera um grupo de pesquisadores da área de Neurociência, no campo de fisiologia de órgãos e sistemas. Se dedica, especialmente, ao estudo da integração entre o cérebro humano e máquinas, como neuropróteses.

Breve trajetória: Nicolelis se formou em Medicina no ano de 1984. Em 1989 já havia alcançado o doutorado em Ciências (Fisiologia Geral) e, logo em seguida, veio o pós-doutorado em Fisiologia e Biofísica.


A pesquisa sempre esteve entre suas prioridades. Quanto mais estudava, mais passou a desenvolver e acreditar no uso da ciência como agente de transformação social e econômica. Miguel liderou, e ainda lidera, projetos voltados a estudar a mente e, mais do que isso, usar as máquinas para ajudar a entender como o cérebro funciona, explicar a consciência e até como as doenças neurológicas se originam.


Em 2014, Nicolelis e sua equipe realizaram a demonstração pública do exoesqueleto controlado pelo cérebro de um paciente paraplégico, na cerimônia de abertura da Copa do Mundo realizada no Brasil. A demonstração, na época, colocou a ciência brasileira em evidência mundial.

Reconhecimentos: Foi considerado um dos vinte maiores cientistas em sua área no começo da década passada pela revista de divulgação Scientific American. Eleito pela Revista Época como um dos 100 brasileiros mais influentes do ano de 2009. Em 2011 foi nomeado pelo papa para a Pontifícia Academia das Ciências, a mais antiga academia de ciências do mundo. Já recebeu diversos outros prêmios e títulos.

Gostou desse conteúdo e quer ser avisado sobre atualizações? Se inscreva na nossa lista do WhatsApp! Clique aqui e envie seu número.


Fontes consultadas:

Revista Pesquisa: O homem das múltiplas conexões

Jornal do Campus: quem é Miguel Nicolelis?