• Coletivo Paralelas

A ciência nossa de cada dia | Johanna Döbereiner: a senhora das criaturas milagrosas

Atualizado: Jul 5

Se a ciência e a pesquisa já eram pilares importantes para a sociedade, agora, então, foram reconhecidas como indispensáveis. Quando se fala em ciência, é comum associar essa palavra a apenas "grandes" invenções, como um foguete ou até a grandes teorias, como a descoberta da gravidade. Mas a abrangência da ciência é muito mais cotidiana e local do que se pensa.


A série “A ciência nossa de cada dia” traz hoje a figura de Johanna Dobereiner, uma grande mulher - de origem tcheca, mas naturalizada brasileira - que se destacou internacionalmente tornando-se referência na área agronômica e, também, em temas que tratavam sobre a sustentabilidade do solo. Uma mulher, sem dúvidas, a frente de seu tempo. E do nosso.

Data e local de nascimento: Dia 28 de novembro de 1924, em Aussig, na Tchecoslováquia, naturalizando-se brasileira em 1950.

Principal atuação: Microbiologia do solo: esse foi o ponto de partida das pesquisas de Joanna, que descobriu que bactérias eram capazes de fixar nitrogênio em uma espécie de comunicação com as plantas.

Breve trajetória: Johanna formou-se em agronomia pela Universidade de Munique. Mudou-se para o Brasil onde foi contratada como assistente na instituição que conhecemos hoje por Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária).

Trabalhou em ambientes majoritariamente masculinos. Conseguiu apresentar o seu valor dividindo seu tempo entre as suas pesquisas e o cuidado para com os três filhos. Escreveu, ao longo da trajetória acadêmica, mais de 500 trabalhos.

Se a agricultura no século passado fazia perguntas, Dobereiner trazia as respostas. Ao persistir na ideia de que os próprios microrganismos seriam capazes de renovar o nitrogênio do solo, ela possibilitou a expansão sustentável da produção brasileira. Propôs, ainda, um desafio - que ecoa até hoje – de gerar desenvolvimento sem gerar passivos ambientais. Um legado importantíssimo, pra não dizer essencial.

Reconhecimentos: Pioneira no plantio sem o uso (ou como uma capacidade reduzida) de adubos químicos nitrogenados. Precursora do plantio em larga escala – utilizando-se desse método – de soja, cana-de-açúcar e leguminosas (o que causou uma diminuição da poluição dos rios e, especialmente, do solo) - graças a Johanna, o Brasil é hoje um dos maiores produtores de soja do mundo. Foi indicada ao Prêmio Nobel, em 1997. Foi a primeira mulher a compor o quadro diretivo da Academia Brasileira de Ciência.

Gostou desse conteúdo e quer ser avisado sobre atualizações? Se inscreva na nossa lista do WhatsApp! Clique aqui e envie seu número.


* A frase "a senhora das criaturas milagrosas" ganhou fama após uma reportagem da Revista Veja, em agosto de 1996.


Fontes consultadas:

Johanna Döbereiner: a cientista que revolucionou a agricultura

Cientistas brasileiras: Johanna Dobereiner