• Coletivo Paralelas

A ciência nossa de cada dia | Graziela Maciel Barroso: a primeira dama da botânica

Atualizado: Jul 5

Se a ciência e a pesquisa já eram pilares importantes para a sociedade, agora então, foram reconhecidas como indispensáveis. Quando se fala em ciência, é comum associar essa palavra a apenas "grandes" invenções, como um foguete ou até a grandes teorias, como a descoberta da gravidade. Mas a abrangência da ciência é muito mais cotidiana e local do que se pensa.

Iniciamos com esse texto a série "A ciência nossa de cada dia", que tem como objetivo conhecer um pouquinho da história e feitos das/os principais cientistas brasileiras/os. Além disso, valorizar a ciência é apostar na informação e na credibilidade. A descrença gerada por meio das desinformações e das fake news cria sérios problemas, como, por exemplo, o comportamento anti-vacina. Nosso primeiro texto apresentamos o trabalho de Graziela Maciel Barroso, uma naturalista e botânica brasileira, com uma colaboração de enorme valor para o entendimento e classificação da flora nacional. Data e local de nascimento: Corumbá-MS, no dia 11 de abril de 1912. Principal atuação: Conhecida como a Primeira Dama da Botânica no Brasil, foi a maior taxonomista de plantas do país. A taxonomia é a área da Biologia dedicada à organização e classificação dos seres vivos. Breve trajetória: Graziela teve o primeiro contato com o universo da botânica aos 16 anos, quando se casou com um engenheiro agrônomo. A partir daí, de forma autodidata, passou a se aprofundar e especializar no assunto. Começou como estagiária no Jardim Botânico do Rio de Janeiro e, pouco tempo depois, ingressou na instituição, tornando-se a primeira mulher a fazer o concurso para naturalista do Jardim Botânico. Graziela passou a ser responsável por treinar estagiários e, até mesmo, mestrandos e doutorandos. Aos 47 anos, ingressou no curso de biologia da Universidade do Estado da Guanabara. Aos 60 anos, defendeu seu doutorado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). A cientista deu aulas em diversas universidades do país, auxiliou na formação de milhares de botânicos, promoveu cursos, palestras, escreveu livros e se tornou uma referência no Brasil e no mundo. Reconhecimentos: Mais de 25 espécies vegetais identificadas nos últimos anos foram batizadas com seu nome. Foi eleita para a Academia Brasileira de Ciências em 2003, mas faleceu antes de tomar posse. Foi a primeira brasileira a receber o prêmio internacional Millenium Botany Award.

Gostou desse conteúdo e quer ser avisado sobre atualizações? Se inscreva na nossa lista do WhatsApp! Clique aqui e envie seu número.


Fontes consultadas:

Matéria Fundação Telefônica Vivo: 8 importantes cientistas brasileiros para você conhecer

Matéria Unifei: Graziela Barroso